Header

UZH-Logo

Maintenance Infos

Título de poema. Lugar de memória literária


Gassmann-Ramos, M A (2020). Título de poema. Lugar de memória literária. In: Lopez Guil, Itziar; Carrillo Morell, Dayron. El título del poema y sus efectos sobre el texto lírico iberoamericano Homenaje al profesor Georges Güntert en su 80 cumpleaños. Berlin, Bern, Bruxelles, New York, Oxford, Warszawa, Wien: Peter Lang, 123-148.

Abstract

Uma das vozes mais representativas da produção literária em português do século XX, Carlos de Oliveira, ilustra em um dos seus sonetos a luminosa relevância da eleição de um título de poema1. Em contexto de reescrita para Poesias (1962), estabelece um diálogo direto com um soneto de Luís de Camões (1525?-1580), propondo uma série lírica em três cadências que integrara em Terra de harmonia (1950: 24). Em primeiro lugar, “Soneto de Camões”, com o incipit, “Que me quereis, perpétuas saudades?”, que oferece título ao conjunto, em segundo lugar, “Imité de Camoëns”, que reproduz o soneto de Les yeux d’Elsa (1942) em que Louis Aragon, de algum modo, se apropria do poema renascentista e, finalmente, em terceira posição, “Imitado de Aragon”, faculta-nos Carlos de Oliveira nova reinterpretação, atualizando-nos o poema através de nova impressionabilidade (Oliveira 1978, I: 124–126).

Abstract

Uma das vozes mais representativas da produção literária em português do século XX, Carlos de Oliveira, ilustra em um dos seus sonetos a luminosa relevância da eleição de um título de poema1. Em contexto de reescrita para Poesias (1962), estabelece um diálogo direto com um soneto de Luís de Camões (1525?-1580), propondo uma série lírica em três cadências que integrara em Terra de harmonia (1950: 24). Em primeiro lugar, “Soneto de Camões”, com o incipit, “Que me quereis, perpétuas saudades?”, que oferece título ao conjunto, em segundo lugar, “Imité de Camoëns”, que reproduz o soneto de Les yeux d’Elsa (1942) em que Louis Aragon, de algum modo, se apropria do poema renascentista e, finalmente, em terceira posição, “Imitado de Aragon”, faculta-nos Carlos de Oliveira nova reinterpretação, atualizando-nos o poema através de nova impressionabilidade (Oliveira 1978, I: 124–126).

Statistics

Citations

Dimensions.ai Metrics

Altmetrics

Additional indexing

Item Type:Book Section, refereed, original work
Communities & Collections:06 Faculty of Arts > Institute of Romance Studies
Dewey Decimal Classification:800 Literature, rhetoric & criticism
470 Latin & Italic languages
410 Linguistics
440 French & related languages
460 Spanish & Portuguese languages
450 Italian, Romanian & related languages
Language:Portuguese
Date:2020
Deposited On:24 Nov 2020 10:45
Last Modified:13 Mar 2024 14:48
Publisher:Peter Lang
Number:46
ISBN:978-2-8076-1321-8
OA Status:Closed
Publisher DOI:https://doi.org/10.3726/b16193
Official URL:https://www.peterlang.com/view/9782807613218/html/ch13.xhtml
Related URLs:https://www.peterlang.com/view/9782807613218/html/ch13.xhtml (Publisher)
Full text not available from this repository.